Formas de prevenir a TPM!

08/04/2013 13:04

 

 

A síndrome pré-menstrual (SPM) ou tensão pré-menstrual (TPM), como é conhecida popularmente, não só entre as mulheres que sofrem deste mal, mas também pelos seus companheiros, familiares e amigos, caracteriza-se como um conjunto de sinais e sintomas, tanto físicos quanto psíquicos, que ocorrem de forma cíclica durante o período fértil.

A manifestação dos seus desagradáveis sintomas geralmente tem início na semana anterior à menstruação, com ápice de um a dois dias antes da mesma e fim no último dia do ciclo ou nos primeiros dias do ciclo seguinte. É importante saber que estes sintomas se manifestam de forma particular em cada mulher, apresentando intensidade e manifestações variáveis.

Devido a grande variedade de sintomas presentes durante o período da SPM, ela pode ser classificada em quatro subgrupos: SPM A, H, C e D. A SPM-A é o quadro mais comum, no qual temos a predominância dos sintomas emocionais com intensa ansiedade, irritabilidade e tensão nervosa. Estudos indicam que estes sintomas estão relacionados ao aumento da ação do hormônio feminino estrógeno, que tem como causa o aumento da produção deste hormônio ou a diminuição da produção de progesterona.

A segunda SPM mais frequente é a H, caracterizada pelo acúmulo anormal de líquidos, dores nas mamas e no abdômen, além do tão temido ganho de peso. Esses sintomas são devido a alterações no  metabolismo hídrico, que ocorre pela elevação da aldosterona no sangue, hormônio que auxilia na regulação do sódio e do potássio no corpo e, consequentemente no controle da pressão arterial e do equilíbrio de fluidos e de eletrólitos no sangue.

As habituais dores de cabeça, aumento do apetite, desejo incontrolável de comer doces, fadiga, palpitações e tremores são os sintomas mais frequentes da SPM-C, que tem como causa a diminuição dos níveis de magnésio nas hemácias e aumento da tolerância aos carboidratos.

E, para finalizar, sabe aqueles dias de intensa depressão, insônia, com choro fácil, esquecimento e confusão? Estes sintomas estão presentes na SPM-D e ocorrem devido à deficiência de magnésio por meio de dois mecanismos: o primeiro é que essa deficiência aumenta a sensibilidade ao estresse e o segundo é o aumento da absorção intestinal de chumbo.

Sobre os sintomas negativos, a maioria de nós já conhecia, mas você sabia que também podem existir sintomas positivos? Alguns pesquisadores afirmam que durante o período pré-menstrual algumas mulheres podem apresentar sintomas como o aumento do interesse e do prazer sexual, seios mais atraentes, maior produção de ideias criativas, “explosões” de energia, melhor desempenho social e ocupacional e sensação de bem-estar. No entanto, infelizmente apenas 2/3 das mulheres experimentam alguma dessas alterações positivas.

E se você é uma mulher que não possui tensão pré-menstrual erga as mãos para o céu e agradeça: você é uma privilegiada! Estudos epidemiológicos mostraram que 75% a 80% das mulheres apresentam sintomas incômodos durante esse período. Mas, se você não é uma privilegiada, acalme-se! Você pode melhorar os sintomas adicionando alguns alimentos na sua rotina alimentar!

Alimentos como leite, iogurte, queijo branco e requeijão são ricos em cálcio e, segundo um estudo americano, o consumo de 1200 mg de cálcio por dia foi capaz de reduzir os distúrbios de humor, as cólicas e o inchaço da SPM em até 50%. O teor de cálcio presente nos alimentos citados varia de 200 à 300 mg, sendo assim é importante ingeri-los pelo menos 4 vezes ao dia e preferencialmente na fase pré-menstrual.

Além do cálcio, o consumo de magnésio mostrou-se muito eficaz na redução da retenção de líquidos e do inchaço em até 40%, possuindo também efeito calmante e evitando as oscilações de humor. Para a obtenção desses ótimos resultados devemos ingerir por volta de 200 mg diárias desse mineral, que pode ser encontrado no abacate, beterraba, figo, nozes, quinoa, amaranto, sementes secas de abóbora, girassol e gergelim. Alguns estudos têm demonstrado que o consumo de 600 mg/dia de vitamina B6 apresentou ação benéfica contra as dores de cabeça e também nos sintomas de depressão, uma vez que aumenta os níveis dos neurotransmissores dopamina e serotonina. Se você busca uma melhora nesses sintomas é importante incluir alimentos como banana, batata, atum, carne de boi, fígado, nozes e vegetais verdes.

Um estudo realizado pela Escola de Saúde Pública e Ciências da Saúde da Universidade de Massachusetts e pela Universidade Harvard mostrou que as mulheres que possuem uma dieta rica em ferro, presente em verduras e suplementos alimentares (20 mg/dia) tiveram uma redução de 30% a 40% no risco de desenvolver TPM. Dessa forma, vale a pena incluir na dieta vegetais verde-escuros, como agrião, couve, salsa e brócolis.

Outros alimentos que você também deve consumir pelo menos duas vezes ao dia são o salmão e a sardinha. Essa inclusão se deve ao fato desses alimentos serem ricos em ômega 3 e diversos estudos, também tem demonstrado a relação entre o consumo desse ácido graxo insaturado com a melhora dos sintomas da SPM, como a redução das cólicas menstruais e também na redução da depressão. 

Por fim, temos a soja, que já é muito conhecida pelas mulheres devido aos seus benefícios contra a menopausa e agora também tem se destacado como aliada a SPM. Seus benefícios devem-se às isoflavonas, fitoestrógenos que auxiliam no equilíbrio das oscilações hormonais, reduzindo os altos níveis de estrogênio e contribuindo assim para a melhoria dos sintomas.

Mas ATENÇÃO!! Além de incluir todos esses alimentos na sua dieta, fique longe do café, álcool, refrigerantes e chocolates. Esses estimulantes podem aumentar a retenção de líquidos, irritabilidade, cólicas, dor nos seios e a agressividade!!! Então se você não quer mais sofrer desse mal tenha uma alimentação mais saudável e equilibrada, adquirindo bons hábitos você pode se livrar da SPM!



Fonte: alimentofuncinal.webnode.com

REFERÊNCIAS:

Consumir ferro reduz risco de TPM, sugere estudo. 2013. http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2013/02/consumir-ferro-reduz-risco-de-tpm-sugere-estudo.html

Muramatsu, C.H. Conseqüências da Síndrome da Tensão Pré-Menstrual na Vida da

Mulher. Rev Esc Enferm USP, v. 35, n. 3, p. 205-13. 2001.

Rodrigues, I.C.; Oliveira, E. Prevalência e convivência de mulheres com síndrome pré-

Menstrual. Arq Ciênc Saúde. v. 13, n. 3. 2006.

Valadares, G. C. et al. Transtorno disfórico pré-menstrual revisão – conceito, história, epidemiologia e etiologia. Rev. Psiq. Clín. v. 33, n. 3, p. 116. 2006.

Watson, S. Como funciona a TPM. http://saude.hsw.uol.com.br/tpm.htm



Leia mais: http://alimentofuncional.webnode.com/news/saiba-como-driblar-a-tens%c3%a3o-pre-menstrual-tendo-como-aliada-a-alimenta%c3%a7%c3%a3o-/